Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \23\UTC 2008

…E tiveram a coragem de dizer a ele que, para falar de amor era preciso um português correto. O amor tem que ter alma, tem que ter sabor, sabor nordestino de Zé da Luz que escreveu uma das poesias mais lindas, da literatura cordel, que já ouvi em toda a minha vida. Poesia brasileira, da língua brasileira, com alegria brasileira e essência brasileira. Não é querendo me gabar, mas eu sou brasileira.

 

Ai! Se sêsse!…

Zé da Luz

Se um dia nós se gostasse;
Se um dia nós se queresse;
Se nós dois se impariásse,
Se juntinho nós dois vivesse!
Se juntinho nós dois morasse
Se juntinho nós dois drumisse;
Se juntinho nós dois morresse!
Se pro céu nós assubisse?
Mas porém, se acontecesse
di São Pêdo não abrisse
as portas do céu e fosse,
te dizê quarqué toulíce?
E se eu me arriminasse
e tu cum eu insistisse,
prá qui eu me arrezorvesse
e a minha faca puxasse,
e o buxo do céu furasse?…
Tarvez qui nós dois ficasse
tarvez qui nós dois caísse
e o céu furado arriasse
e as virge tôdas fugisse!!!

 

Read Full Post »

Eu confesso

Já falei sobre minhas manias, mas minhas esquisitices não deixam a desejar. Quem me conhece sabe que eu tenho de sobra atitudes e histórias esquisitas. De tão esquisita que sou, não entendo porque o meu pensamento está completamente focado neste assunto. E os dedos? Estão completamente possuídos e loucos para me expor neste pedacinho de mundo virtual! Coisa esquisita!

 

A minha primeira esquisitice é ter um post it colado em minha agenda corporativa com nomes de quatro livros. Guardo isso há mais de 14 anos e nunca tive coragem de jogar fora. Esquisito? Esquisito é passar ano após ano tal papelzinho para as novas agendas.

 

Após um episódio traumático e beeeeemmmm esquisito, evito envelopes amarelos.

 

Eu xingo até a última geração o sujeito que fica de fofoquinha, mas o esquisito é que eu adoro um bafão!

 

Odeio rotular, contextualizar e estereotipar “a vida”, mas tenho feito isso tudo com a minha, da maneira mais esquisita do mundo. E percebi que essa minha atitude criou uma pulga monstra atrás da minha orelha. Esquisito eu pensar assim.  

 

Eu nunca tive um pogobol, mas eu confesso que um dos meus sonhos mais esquisitos é pular por aí, em cima de um, da forma mais ensandecida e esquisita, claro. E gritaria o “uhúúúú” mais idiota e esquisito do mundo.

 

Tenho plena consciência de que crime perfeito não existe, mas tem sido cada vez mais corriqueiro ser tomada por um pensamento esquisito, para não dizer, bem fora-da-lei: assaltar um banco no melhor estilo do cinema americano. Assim, como fez a dupla Joe e Terry, personagens de Bruce Willis e Billy Bob Thornton, em Vida Bandida. Só preciso de alguns jagunços e cúmplices para executar o plano. Tá, isso não é esquisito, e sim almejar uma carreira no submundo. Eu disse que eu era esquisita, não disse?

 

 

Trilha musical de Paola, a esquisita, ouvida em seu carro de fuga:

um thunderbird conversível, claro

Read Full Post »

Johnny

Ele não poderia ter nascido num mês mais apropriado: o mês do cachorro louco. Dia 17 de agosto de 2002, Johnny veio a este mundão para, depois de “desmamar”, fazer parte de uma família que de normal não tem nenhum pouco.

 

Selecionado entre outros oito monstrinhos, aquele gordinho sem vergonha com cara de “me leva” ganhou a nossa simpatia na hora. Na estrada, rumo a São Paulo, o Johnny veio no meio das minhas pernas, de tão pequeno que era. Num determinado momento, quisemos testar sua audição e ligamos o rádio no último volume. O bicho tomou tamanho susto que eu concluí na hora que se ele não tinha problemas de audição, certamente teria acabado de adquirir problemas cardíacos.

 

O pequeno Johnny não demorou para crescer e conquistou todos em casa, mesmo comendo uma sandália minha, marcando território em cada canto do quintal ou me derrubando fazendo com que eu quase quebrasse o braço. Quando ele fica feliz, balança tanto o rabo que se você chegar perto terá a impressão de que aquilo é um chicote.

 

Como ele vive num jardinzão de 120 metros quadrados, o Johnny corre horas, o que resultou numa musculatura fora do comum e um peso de 40 quilos! O doido corre tanto e ganhou tamanha força que eu não consigo passear com ele nem com o enforcador. Para distraí-lo eu sempre dou uma garrafa PET. Aí ele fica mais doido do que já é. Corre com a garrafa, amassa, rola e faz cara de “vamos brincar e veja se é capaz de arrancar a garrafa de mim!”.

 

Ele é querido demais, mesmo quando resolve se deitar de barriga pra cima – como uma bicha facim facim – para ganhar carinho. É um cara de pau! Quando eu chego é um deus nos acuda para sair do carro, porque ele sobe no meu colo, lambe a minha cara, lambe o volante e amarrota a minha roupa (em geral são roupas de “guerra” porque não dá para visitá-lo vestida de saia de chita ou roupinhas de moça de fino trato). Ele é tão louco que por diversas vezes perguntamos onde erramos, se o problema foi mesmo na educação, se o problema é de personalidade ou se isso é resultado do dia fatídico que ligamos o rádio bem alto. Talvez isso esteja atrelado ao seu signo, leão. Como os leoninos, ele é cheio de energia e um tanto quanto exagerado. Além de não parar quieto, não me obedece, me derruba e ainda por cima me empurra quando o Frango resolve me abraçar ou fazer qualquer tipo de carinho em mim. Ele é ciumento e possessivo e nunca aceita essa troca de carinhos entre nós. Cachorro atrevido, esse Johnny.

 

Quando resolve ficar parado, senta com uma de suas patas sobre os nossos pés e nos olha com a cara mais deslavada do mundo como se nada estivesse acontecendo. Mesmo com suas chicotadas, seu ciúmes doentio, seus empurrões e sua desobediência, não há como não sentir saudades desse cabeção. É ruim quando fico mais de uma semana sem vê-lo, e já fico aflita só de pensar que daqui a algumas semanas os nossos encontros só acontecerão lá no Guarujá, novo endereço dos meus pais. Ele já é louco, ciumento, brincalhão, irracional, exagerado e atrevido, mas morando num lugar bacana como aquele, ele ficará insuportavelmente esnobe e metido. Sem dúvida, o litoral não será mais o mesmo com a presença desta figura.  

 

 

O Johnnynho faz miau? Não, não! Ele faz au au!

Read Full Post »

Declarações

O tempo sempre foi o senhor da razão, além de ser o responsável por apagar tristezas, cicatrizar feridas e apagar o que já passou. Aprendemos e ganhamos muito com este cara. Mas há certas coisas que o tempo não é capaz de fazer, porque são maiores e mais fortes. Me refiro às lembranças que permitimos guardar para sempre.

 

Quando quero recordar algo, fecho os olhos e sou capaz de sentir as mesmas sensações e reviver aquilo tudo. Aí me flagro rindo sozinha ao lembrar de fatos jamais esquecidos e muito menos camuflados pelo passar dos anos. Tenho lembranças de pessoas que não vejo há séculos, cujas imagens de seus rostos se confundem com flashes rápidos, transformando-os em uma espécie de borrão. Não há nitidez e nem uma figura concreta. Porém, guardo determinadas lembranças dessas pessoas que, se eu contasse, elas não acreditariam.

 

O que mais gosto de guardar são bilhetes e cartas escritas por pessoas que em algum momento foram ou são mais do que especiais em minha vida. Algumas delas já não fazem parte do meu cotidiano, mas marcaram de tal forma  que a diferença foi bastante significativa em minha vida.

 

Tenho bilhetes de amigas do colegial e até cartas escritas pelo meu primeiro amor. E vejo que estas cartas são cheias de verdades, porém ridículas, assim como descreveu Fernando Pessoa Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas…”

 

Algumas frases, confesso, me fez suspirar novamente me transportando para um tempo distante. Sorri da forma mais esnobe e egocêntrica. Para alguns pode parecer um xaveco barato, uma frase copiada do pára-choque de um caminhão ou pieguice pura . Ridículas ou não, são poesias escritas por pessoas que faço questão de não esquecer. Foram escritas por pessoas guardadas num pedaço de mim.

 

Tenho cartas que dizem: …Não haverá mais pessoas como você num futuro tão próximo…;  Tenho boas recordações daquele tempo e uma delas é você…;    Eu era indestrutível, imortal, desafiador e brilhante. Você é assim.;    Você está dentro do meu livro de lindas recordações e nada te subtrairá da página que reservei…

 

 

Não, Fernandão, não são ridículas. São de amor.

 

 

 

 

 

Read Full Post »

Seção beauty

Para se sentir a mais poderosa das mulheres, não há melhor arma do que um bom truque de maquiagem e uma roupa com um ótimo caimento. O corte de cabelo ou o penteado faz parte também dessa fórmula de sucesso. Uma maquiagem leve, apesar de não parecer, faz toda a diferença para uma mulher.

 

O problema é explicar isso, de uma maneira delicada, para certas garotinhas ansiosas por utilizar todo aquele arsenal colorido que compõem o estojo de maquiagem. Eu não entendo também tamanho encantamento pelos bobes de cabelos.

 

Na cabecinha delas, não adianta vir com o tal do “menos é sempre melhor” e, além disso, tal conselho pode ferir os seus sentimentos, caso você as oriente em fazer uma maquiagem mais light.

 

Pode apostar, em alguns casos é melhor você concordar com tudo e achar que o resultado está magnífico, porque o saldo será sempre sorrisos fascinantes estampados nos rostos dessas criaturas inocentes. É verdade, elas acreditam piamente que fizeram um trabalho brilhante, e em função disso, não dá coragem de discordar.

 

E convenhamos, ser maquiada por crianças não é tão assustador assim. Até porque, os comentários feitos por elas durante a execução da seção “beauty” são espetaculares. Entre uma pincelada na bochecha e outra nos olhos, todos os tipos de elogios são feitos. O mais divertido é ouvir “Fica quietinha porque senão vai borrar” enquanto elas passam o batom de forma bem desastrada.

 

O segredo se resuma a:

1. Não censurá-las

2. Tomar muito cuidado na hora em que o rímel está na mão da menor

3. Ter um excelente demaquilante após a brincadeira do salão de beleza

 

 

Quem é que disse que não estou bonita? O bobe azul está combinando com a sombra, também azul.

 

Read Full Post »

Songamonga

Bancar a sonsa não é uma das tarefas mais fáceis, mas descobri que em muitos momentos essa é a melhor fórmula. Fórmula de sucesso e felicidade.

Em um mundo cheio de gente louca e dissimulada andando por aí, o melhor é dar uma de sonsa. Vai por mim.

 

Ser sonsa é não exercer a sua revolta com pessoas de caráter duvidoso e questionável.

 

Ser sonsa é ter como referência de vida Pollyana, aquela personagem estupidamente sonsa que consegue ver o mundo sempre colorido, cheio de lados positivos no tal “jogo do contente”.

 

Ser sonsa é desistir de se justificar e/ou se defender, mantendo sempre um sorriso sonso estampado na cara como a melhor forma para sobreviver. É não expor as suas verdades e nunca protestar.

 

Não é fácil, mas às vezes, dar uma de sonsa é uma excelente solução. Por vezes é melhor dar uma de sonsa do que falar demais. É um esforço dos grandes esse, eu sei, mas tenha fé. Vai lá e mentalize azul, caso seja preciso.

 

Se possível, cole um post-it em um lugar estrategicamente visível com o seguinte mantra: “tornar-se a melhor sonsa da face da terra, daquelas bem bobinhas e completamente tola”. E não se esqueça: para tudo, sempre responda “ah, tudo bem”. 

 


                                 Rosa, a songamonga-mór

 

 

 

 

Read Full Post »

Coleção

Sempre gostei de coleções. Desde as de papel de carta até as de caixinhas de fósforos, selos, cartões-postais e folhetinhos daqueles gurus que garantem trazer a pessoa amada e/ou salvar a sua vida em apenas sete dias.  

Porém, hoje, resolvi iniciar uma nova coleção: a dos e-mails sinistros que recebo no meu dia-a-dia corporativo. O que segue abaixo certamente ilustrará a capa desta minha mais nova coleção. Motivo para tanto destaque: é sensacional, prova que há vida lá fora e faz cócegas na alma.

De: executivo bem doido
Enviada em: terça-feira de 2008 21:47
Para: Paola Del Monaco
Assunto: ENC: informações sobre o setor

Prezada Paola,

Aí vai o questionário respondido. Confesso que além da minha limitação natural em redação, hoje, estou especialmente pouco inspirado para dissertar sobre essas perguntas.

A pergunta 7, no texto, ficou sem resposta. A essa hora, queria responder como abaixo, mas sou covarde. Desisti. Portanto, conto com a sua preciosa ajuda.

Saudações,

7- Em sua opinião, qual é o futuro do setor XXXXXX?

 

Segundo mais de uma centúria e alguns dos manuscritos do Mar Morto, no amanhecer da era de aquarius, o setor blá blá blá conquistará todo o terceiro quadrante galático e desafiará o poder da Segunda Fundação. Estabelecerá a nova ordem e guiará a humanidade ao Shangrilá por séculos de Krishna.

Assim confirmam as Runas, a mãe Dinah e o Raul Seixas.

Krig-Há Bandolo! 


Read Full Post »

Older Posts »