Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \16\UTC 2011

Descobertas

Em uma certa altura da vida a gente descobre que as coisas mais óbvias doem mais do que as que a gente nem esperava. Nenhuma felicidade pode ser completa. Essa é uma das verdades mais óbvias e doloridas. E o que dizer quando abrimos mão de uma felicidade que nos completa em nome da felicidade de uma outra pessoa ?
Para quem acha que essa é uma escolha de quem tem medo de ser feliz, acredite, não é. É o significado do amor mais puro.

Abrir mão da felicidade dói, claro que dói. Dói por saber que a dor não passa. Aliás, dói saber que nenhuma dor passa. Certas dores só adormecem. Há dores que caem no sono eterno. Em compensação, outras despertam tão facilmente que dá medo de ligar a luz. A pior, sem dúvida, é viver aquela que tem insônia, que não descansa e nem prega o olho. É a dor constante, aquela que potencializa a nossa impotência e é tão irreversível quanto a nossa incapacidade para lidar.

A esta altura da vida descobri que não existem músicas para ninar dores eternamente constantes.

Anúncios

Read Full Post »